tumblr_mpbh0tImiV1sowvs7o1_500

Tudo bem que ninguém precisava de uma sequência de Montros S.A., tão bem finalizado e com vinhetas de abertura e fechamento tão lindinhas. Mas ok, a gente topa ter mais de Mike e Sulley nas nossas vidas, mesmo que venham sem a nossa queridinha Boo.

 

Como o Dilata tinha introduzido o assunto aqui, já sabíamos o que esperar da historinha: momentos de vida na universidade, no melhor vidaloka staile e, talvez, algum bullying. Não imaginou a última parte, né? Então pre-para, porque é o que mais tem. Eu fiquei com dó do Mike do princípio ao fim da história.

 

Com uma chuva de novos monstrengos, a convivência na universidade promete aaaaltas aventuras, que nem nas sessões da tarde meeesmo. Mike e Sulley, ao se conhecer, não se dão lá muito bem. O primeiro é muito gente boa e o segundo é dos valentões mais tira ondas que rola. Mas o destino os une. Quer dizer, a diretora (que é, provavelmente, o monstro mais assustador do filme) expulsa os dois após algumas trapalhadas de ambos e eles acabam se unindo na tentativa de voltar à Universidade Monstros e realizar o sonho de se formarem como grandes assustadores.

 

E eis que vêm uma competição entre as fraternidades da universidade, na qual algumas provas avaliam a capacidade assustadora de equipes. Mike e Sulley ficam juntos e UMA GRANDE AMIZADE (super piegas, eu sei) nasce. Durante os treinamentos, acabam sendo identificados alguns talentos, como o de um deles mandar muito bem nos sustos e outro como líder de equipe/treinador/motivador.

 

Não vou contar quem ganha as “olimpíadas” no filme, nem o que rola na sequência, mas o roteiro se resolve lindamente, mesmo que o final possa ser visto como negativo em alguns aspectos. Parabéns aos envolvidos pelo fechamento genial. Dizem por aí que o diretor Dan Scanlon e sua equipe deixaram clara a afeição que têm pelas comédias clássicas de universidades e pelos estereótipos de líderes desses ambientes. Os personagens estão, de fato, muito semelhantes aos que vemos normalmente nos filmes de galera em faculdade americana. O resultado vale muuuito a pena conferir.

 

dilatador

– O Mike, todo ele e em todas as fases (da infância à juventude) de aparelho. Gente, que fofurinha. Vontade de dar um abraço de urso a cada aparição da bolinha verde! Ainda mais quando é bullyinado.

– Os personagens das fraternidades estão de acordo com o que vemos nos filmes americanos de colleges.

– O final mostrando como Mike e Sulley ascenderam na Monsters Inc. depois de expulsos da universidade é preciosíssimo. Ok, spoiler demais. Parei.

 

cisco

– Curta de abertura: como sou apaixonada por quase todos os curtas que abrem os filmes da Pixar, admito que estava esperando MUITO de The Blue Umbrella (como falei aqui) e isso pode ter prejudicado a avaliação final da coisa. É muito fofo, usa tudo quanto é “faces in things” que você já viu nas internerds da vida, mas mesmo assim não me pegou de jeito. Acho que faltou uma história forte.

– Mensagem final do filme: será que fica no <3 coração <3 de quem assiste o filme a lição de que quem se esforça em algo que não manda bem, se não tiver a manha, já weras OU que cada um pode ser muito bom em alguma coisa? Espero que a segunda opção, mas desconfio muito de que a primeira fica mais em exposição. Poxa, o Mike se esforçou tanto… porque ele não poderia ter um resultado pelo menos bom?

– Vinheta de abertura: meh. Quando você se lembra daquelas portas sinistras abrindo e fechando com a trilha maravilhosa nos créditos do Monstros S.A., dá até um aperto no peito por não ver tanta dedicação e excelência se repetindo.

 

soneca

– As cenas de bullying com o Mike são um pouco barra pesada. Dá aquela vontadinha de abraçar ele e apertar pause no filme pra cuidar do coitado, como falei ali em cima.

– Faltou trabalhar melhor os personagens da fraternidade em que Mike e Sulley se juntam. Apesar de bons momentos dessa galera, acho que mereciam mais destaque. O “maconheiro” pra mim é o que mais brilha (e ele quase não fala).

 

veredicto

Filme divertido, roteiro bem amarrado, cenas boas das competição, bullying possível do ambiente universitário bem apresentado. A lição do filme questionável, mas tudo é uma questão de falar no ouvido das crianças o que você acredita que determina o sucesso das pessoas no mundo. Acho que vale reforçar. Pra mim, que sou a esperteza em pessoa (modéstia pra que?) ficou um pouco confuso.

Tem que ficar muito ligadjenho pra perceber a presença do Ai, se eu te assusto! 

Para mim, é a melhor animação que está em cartaz nos cinemas do país, no momento. Pixar mandou muito bem, de novo, pra variar. : )

 

nota

 8,8

 

FIlme-Universidade-Monstros-CLIPE

 

Universidade Monstros deve sair das telonas nas próximas semanas. Mals ae o review ter atrasado tanto, mas ainda tá em tempo, meu povo. Corre pra ver!

ANUNCIE AQUI

Quer usar esse nosso espaço? Entre em contato conosco. Clique aqui!